Pets fazem amigos em redes sociais próprias

O bichinho pode criar um perfil, adicionar amigos, publicar fotos ou até escrever um blog. Foto: Reprodução 

O bichinho pode criar um perfil, adicionar amigos, publicar fotos ou até escrever um blog
Foto: Reprodução

As redes sociais cresceram em número e em popularidade nos últimos anos, e um dos desdobramentos disso foi a segmentação dos sites de relacionamento. Existem redes para crianças, ricos, estilistas, hackers, adoradores de animais. Mas um público que tem crescido como alvo nem ao menos usa o computador: são animais de estimação.


Nesses sites, o bichinho (ou seu dono) pode criar um perfil, adicionar amigos, entrar em comunidades, publicar fotos e, em alguns casos, até escrever um blog.
Nos Estados Unidos, as redes sociais para animais de estimação estão se tornando um fenômeno. A doggyspace.com, por exemplo, foi aberta em julho e já conta com cerca de 700 mil usuários.
Ainda dando os primeiros passos no Brasil, as comunidades virtuais para pets em português já reúnem um bom número de animais (ou donos) e vão aprimorando os serviços.
A PetNet.pt, de Portugal, tem como objetivo "dar voz" a cães e gatos, deixando claro que seus donos são apenas intermediários. No perfil, o pet descreve o que gosta ou não gosta de fazer e suas preferências gastronômicas, por exemplo. Uma página reúne vídeos de membros da comunidade e outra, de classificados, serve como espaço para anunciar adoções ou procurar parceiros.
Exclusiva para cães, a uniteddogs.com pode ser acessada em várias línguas, incluindo português. A comunidade oferece uma página para cada usuário registrado e conta com espaço para fotos, vídeos, fóruns e blogs. A mesma rede social oferece também uma versão para gatos, a unitedcats.com.
Além de cães e gatos, a PetPremios.com dá espaço a todos os tipos de animais de estimação, incluindo periquitos, tartarugas, ratos, coelhos e peixes. Além dos perfis e comunidades, também oferece serviço de blogs.
No Petkurt.com o dono também ganha destaque, e pode incluir uma foto sua no perfil do pet. Também não restringe o tipo de animal. Pode ser cavalo, anfíbio, ave ou até bichinho de pelúcia, categoria que ganha o mesmo tratamento e já soma mais de dois mil cadastros. O site também oferece espaço para adoções e doações, colunas de especialistas e guia de raças e espécies - mas aqui os bichos de pelúcia não estão incluídos.

0 comentários: