Dicas para cuidar de seu cão alérgico

DEZ DICAS PARA O SEU CÃO ALÉRGICO VIVER MELHOR

A alergia é uma característica genética do seu cão, herdada dos pais e transmitida aos seus filhotes. Por ser de origem genética, não há cura conhecida ainda, mas há controle. E esse controle é feito 99% pelas pessoas que convivem com o animal (não apenas por quem cuida dele).
O papel do médico veterinário nesses casos é medicar apenas durante as crises alérgicas eventuais e orientar aos familiares como proceder para evitar a exposição a alergenos (produtos capazes de causar alergia no seu cão).
Por isso, siga as instruções desse folheto e tenha sempre um médico veterinário da sua confiança acompanhando seus animais.
1- Nunca mais use perfume ou desodorante no animal (nem os especiais para cães).

2- Não use produtos perfumados perto do animal. Tire da sua casa produtos do tipo: ?Bom Ar?, incenso, ceras, desodorizantes de ambiente, desodorantes e outros produtos perfumados em spay.

3- Desinfetantes à base de cloro, quaternário de amônio ou formol e produtos como Veja (e similares) ou sabão em pó não tóxico aos cães, mas em geral possuem perfume. Então não deixe de usá-los, mas faça isso somente longe do animal (abra a janela para sair bem o cheiro após o uso).

4- Se após o banho, seu cão começar a se coçar ou sacudir a cabeça ou espirrar e a pele dele ficar toda rosada, não use mais o produto (shampoo ou sabonete) habitual e troque para um neutro de quase nenhum perfume existem várias marcas no mercado, escolha a que mais lhe agradar.

5- Nunca mais deixe de usar um preventivo para pulgas e carrapatos no seu cão, mesmo se ele não costuma ir à rua passear. O cão vizinho, um gato ou a sola do deu sapato podem ser condutores ótimos para pulgas e carrapatos, e apear de você não notá-la, uma pulga é suficiente para disparar uma crise alérgica no seu cão. Não servem shampoos e sabonetes antipulgas, pois eles não têm efeito preventivo, apenas combatem as pulgas durante o banho.

6- Mantenha a porta do banheiro da sua casa sempre fechada e evite ao máximo que o seu cão fique lá, por ser o local da casa onde guardamos a maioria dos produtos perfumados (desodorante spray, desodorizador de vaso sanitário, desinfetantes, perfumes, loção pós-barba, colônias, talcos, sabonete, shampoo, cremes diversos, etc..)

7- Se há um fumante na casa, ao fumar, tire o cão de perto ou abra bem as janelas para estimular a circulação de ar. Evite o acesso do animal a quartos de fumantes com ar condicionado, pois o cheiro fica impregnado no ambiente por horas.
8- A maioria dos cães alérgicos desenvolve rinite alérgica (só lembrando: gripe canina não causa espirros! Se ele espirra, pensar logo em alergia). Então cada vez que seu cão espirrar, pare o que estiver fazendo e monitore o ambiente à procura de causas (odores) que possam ter causado o espirro e providencie para que isso não volte a acontecer.

9- Antes de viajar com o animal, peça orientação ao seu médico veterinário a respeito do local para onde o cão irá, informando a ele se tem grama, se tem veterinário na região, se haverá outros cães lá, ou crianças. Pois animais alérgicos podem edema de glote e até sufocar. Se as bochechas ou o focinho do seu cão começarem a inchar, vá imediatamente com ele a um médico veterinário para evitar que o edema (inchaço) agrave e alcance a glote (garganta ? passagem de ar), podendo matá-lo por asfixia rapidamente.

10- Evite trocar de médico toda hora. Em casos como as alergias, é importante conhecer o histórico de cada um para poder orientar e medicar com maior precisão e eficiência, evitando perda de tempo na resolução dos problemas de saúde do seu animal.

0 comentários: