Dentes saudáveis, animais mais fortes

Escovação diária previne problemas periodônticos e outras complicações decorrentes da falta de higiene bucal


Depois de perder dois dentes, Tiquinho acostumou-se à escovação depois das refeições   (Valério Ayres/Esp. CB/D.A.Press)
Depois de perder dois dentes, Tiquinho acostumou-se à escovação depois das refeições
Imagine passar uma semana sem escovar os dentes. Além da sensação de sujeira, com o passar do tempo, a falta de cuidados pode trazer inúmeras doenças. Com os animais de estimação, não é diferente. Problemas de placa bacteriana, tártaro e até o agravamento de doenças renais e cardíacas são consequências da má higiene bucal em cães e gatos.
O veterinário Daniel Ferro, sócio-fundador da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária, explica que os problemas começam com o acúmulo de placa bacteriana e a posterior formação de tártaro nos dentes. Nessa fase, os sintomas são percebidos devido ao mau cheiro da boca do animal. “Muita gente acha normal o bichinho apresentar mau hálito, o que é um erro. O bafo acontece pela falta de higiene e é o primeiro indício para detectar o problema em casa,” adverte.
Doenças periodontais podem causar inflamações nas gengivas, retrações e até a perda dos dentes. Segundo o veterinário, a única maneira de prevenir o problema é fazer a escovação diariamente. “A placa bacteriana dos animais é igualzinha à do ser humano, se desenvolve em 24h. Por isso, é importante escovar os dentes dos bichos pelo menos uma vez por dia,” revela.
Animais com problemas bucais mais avançados apresentam dor ao mastigar, depressão e perda de peso. “Às vezes, os bichos ficam retraídos e o dono não percebe, pode ser que ele esteja com dor de dente. As doenças da boca são silenciosas, os animais passam anos sem que o dono perceba a infecção”, pontua Daniel.
A funcionária pública Danielle Rodrigues demorou a perceber o problema. Sua gatinha, Sissy, de 5 anos, teve que arrancar todos os molares e pré-molares. “Eu percebi que ela estava perdendo o apetite gradativamente. Além disso, estava com o hálito muito forte. Corri para o veterinário, mas não teve jeito. Já estava tudo comprometido. Hoje, ela só tem os caninos e os dentinhos da frente”, resigna-se.
Sissy passou um tempo comendo apenas ração pastosa e tomando medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos. Hoje, ela é uma gatinha saudável e come de tudo, mas infelizmente não aceita que escovem seus dentes. “Não consegui estabelecer uma rotina de escovação. Ela não aceita. O que me resta é ficar atenta, caso a gengiva apresente coloração mais avermelhada que o normal, eu a levo imediatamente ao veterinário e ele toma as providências necessárias.”
Além da perda dos dentes, as doenças periodontais, muitas vezes, podem complicar outros problemas de saúde. Isso ocorre porque as bactérias presentes na boca atingem a corrente sanguínea e contaminam outros órgãos. “As bactérias gostam de qualquer lugar do corpo que esteja inflamado, elas tendem a aderir naquela região. Há animais que têm insuficiência cardíaca e o veterinário não consegue tratar de forma adequada porque a boca do animal está infeccionada,” alerta.
O veterinário Luís Gustavo Silveira explica que o pH da boca dos animais é diferente dos seres humanos. Por isso, cães e gatos não desenvolvem cáries. “O creme dental dos bichos não precisa de flúor, só de enzimas que tratam dos problemas periodônticos. O flúor e o sabão presentes nas pastas comuns causam intoxicações, já que os bichos não cospem após a escovação.”

Hábito diário

O poodle Tiquinho, de 4 anos, já sofreu pela falta de higienização. A dona, Emília da Silva, conta que resolveu levá-lo ao veterinário porque ele estava sem apetite e tinha perdido peso. “Tiquinho estava sem comer, mastigava devagar, devia estar sofrendo com a inflamação. Quando o veterinário pediu para olhar a boquinha dele, viu que estava toda infeccionada. Ele teve que arrancar dois dentinhos.” Hoje, após as refeições, Emília escova os dentes de Tiquinho e oferece um biscoito que ajuda a prevenir o tártaro devido ao atrito, que auxilia na limpeza dos dentes.
O veterinário Marcelo Roza afirma que 75% dos cães com mais de três anos têm doenças periodontais. Segundo ele, a única forma de tratar do problema é a escovação diária. “Objetos de couro ou borracha têm efeitos positivos; Com eles, a placa bacteriana demora mais para se formar, mas nada disso substitui a escovação”, adverte.

Hora da escovação

- O ideal é que eles se acostumem com a limpeza desde filhotes, portanto é importante construir esse hábito o quanto antes.
- Não demonstre irritação durante o processo de escovação, do contrário eles podem associar o momento a um castigo.
- Não deixe que os cães mordam a escova. Brincadeiras são bem-vindas, mas é importante que ele entenda que nessa hora não pode morder.
- Gatos normalmente têm mais resistência à escovação. Faça, aos poucos, até conquistar a confiança do bichano.

0 comentários: